Jesus – Apenas um mestre da moral ou Salvador?

Cada um tinha uma perspectiva diferente sobre Jesus. Uns viam-no apenas como o mero carpinteiro de Nazaré (Mc 6.3); outros afirmavam ser ele um dos antigos profetas do Antigo Testamento que ressuscitou (Lc 9.19; Mt 16.14); outros diziam ser ele um bom mestre (Mt 19.16); ou ainda um mestre vindo de Deus (Jo 3.2) etc.

Em Mateus 16.15 Jesus pergunta propositalmente a seus discípulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Jesus já sabia o que o povo pensava sobre ele, mas ele queria ouvir de seus discípulos uma declaração diferente da opinião popular. “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” (Mateus 16.16) Esta declaração de Pedro provou que ele compreendeu a missão do Messias no mundo. Jesus queria que seus discípulos soubessem que eles não o haviam seguido em vão! Esta afirmação de Pedro esta baseada na autoridade que Jesus exerceu em seu ministério. Vejamos um pouco sobre a autoridade de Jesus:

quem é Jesus para vocêAutoridade sobre as enfermidades. (Mateus 21.14;Lucas 7.21,22;6.10; 8.44; 14.4; João 5.8)
Autoridade sobre a natureza. (Mateus 8.26,27;17.27;Lucas 5.5-7)
Autoridade na terra para perdoar pecados. (Mateus 9.6; 1 João 1.9)
Autoridade sobre os demônios. (Marcos 1.34, 39; Lucas 11.20)
Autoridade sobre a morte. (Lucas 7.14; João 11.43,44)

Finalmente após sua ressurreição toda autoridade lhe foi dada.(Mateus 28.18; Romanos 14.11; Filipenses 2.10) Que mais evidências alguém precisaria para reconhecer que Jesus era o Filho de Deus? Quando os judeus se recusaram a crer nele para serem salvos, Jesus lhes alertou: “Àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus? Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele.” (João 10.36-38)

Quem é Jesus para você?
Hoje também precisamos responder a mesma pergunta de Jesus: “E vós, quem dizeis que eu sou?” C S Lewis abandonou o cristianismo e viveu como ateu por um bom tempo, mas um dia ele teve um novo entendimento acerca de Cristo. Sem querer coagir ninguém a crer em Cristo, ele escreveu assim:

“Tento aqui impedir que alguém diga a grande tolice que sempre dizem sobre Ele [Jesus Cristo]: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre em moral, mas não aceito sua afirmação em ser Deus.’ Isto é exatamente a única coisa que não devemos dizer. Um homem que foi simplesmente homem, dizendo o tipo de coisa que Jesus disse, não seria um grande mestre em moral. Poderia ser um lunático, no mesmo nível de um que afirma ser um ovo pochê, ou mais, poderia ser o próprio Demônio dos Infernos. Você decide. Ou este homem foi, e é, o Filho de Deus, ou é então um louco, ou coisa pior… Você pode achar que ele é tolo, pode cuspir nele ou matá-lo como um demônio; ou você pode cair a seus pés e chamá-lo Senhor e Deus. Mas não vamos vir com aquela bobagem de que ele foi um grande mestre aqui na terra. Ele não nos deixou esta opção em aberto. Ele não teve esta intenção.” Em João 17.3 Jesus declara: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

Textos relacionados:
Vamos crer ou não?
Que farei de Jesus chamado o Cristo?
Jesus cumpriu as profecias messiânicas?
A mensagem da Páscoa

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *