Evangelismo

A nossa chamada: O vinde e o ide de Cristo

A evangelização é a tarefa de todos os redimidos. Primeiramente Cristo disse a cada um de nós: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” (Mateus 11.28) Em outra oportunidade ele se expressou assim: “E disse Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”. (Marcos 1.17); outra vez: “…Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. (Mateus 28.19,20)

Os discípulos receberam de Jesus todo o ensino e treinamento necessário. Além disso, depois de haver ressuscitado, Jesus passou ainda cerca de 40 dias instruindo-os, dando os últimos detalhes para a conquista do mundo através da ministração da Palavra de Deus. O último passo seria ficar em Jerusalém para o cumprimento da promessa do Pai: o revestimento de poder, recurso que eles necessitavam para realizar a obra de Deus com êxito.

evangelismo

A oração e o ministério da Palavra

Toda obra de evangelização demanda tempo e dedicação. Quando Pedro se viu muito atarefado com o crescimento da igreja, logo percebeu que devia manter suas prioridades em dia. Em Atos 6.2,3 lemos: “E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra.”

Pedro e os demais apóstolos sabiam da importância da obra social, e de maneira alguma a desprezaram, mas eles mantiveram o seu foco nas prioridade da Palavra. De fato, sem meditar na Palavra não havia como evangelizar e tampouco edificar a igreja. Enquanto os apóstolos meditavam na Palavra Cristo, o Espírito Santo lhes lembrava de tudo o que eles haviam aprendido de Cristo. Assim também há de ser conosco. As autoridades judaicas ficaram admiradas das palavras de Pedro, daí ele tiveram que confessar e reconhecer que eles haviam estado com Jesus! (Veja Atos 4.13) Estar com Jesus em oração é o segredo da unção.

O discipulado dos Apóstolos

Antes de sua ressurreição Cristo explicou de várias maneiras sobre o poder da Palavra de Deus. Em parábolas ele falou sobre a semente, o trabalho do semeador, os tipos de solo, a colheita, etc. Isso nos leva a entender que a tarefa básica do semeador é semear a Palavra, ou seja, pregar e confiar que Deus está no controle da semeadura. O semeador deve, sem ansiedade alguma, aguardar os resultados concretos de seu trabalho e no final será recompensado.

O SEMEADOR E A SEMENTE

evangelismoEm Marcos 4.3 a Bíblia simplesmente diz que o semeador saiu a semear! Percebe-se que Cristo não explica as razões pelas quais o semeador saiu a realizar a sua tarefa. Entretanto examinando outras passagens relacionadas à semeadura da Palavra, podemos chegar a algumas conclusões simples:

1. O semeador sabe que semear é uma tarefa exclusivamente sua!

Outros trabalhadores não poderiam realizar a tarefa com sucesso. Somente o semeador está habilitado a pregar a Palavra de Deus. O apostolo Paulo assimilou tanto este conceito que ele chegou a dizer: Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada” (1 Coríntios 9.16,17)

2. O semeador crê (tem fé) no poder da semente

Semear a Palavra de Deus é um ato de ! Aliás tudo o que fazemos deve ser assim. Jesus disse: “O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga. E, quando já o fruto já está maduro, logo se lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa.” (Marcos 4.26-29). Em Isaías Isaías 55.10.11 lemos também: “Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.”

3. A Salvação só ocorre com a pregação da Palavra

Está escrito: “Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?” (Romanos 10.13,14)

Apesar das perseguições a Palavra de Deus precisa ser pregada. Em Atos 11.19,20 lemos: “E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. E havia entre eles alguns homens cíprios e cirenenses, os quais entrando em Antioquia falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus. E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor.” (Atos 11.19,20)

4. O semeador sabe que o seu trabalho terá obstáculos e perseguições

Jesus nunca escondeu o lado das perseguições para seus discípulos. No primeiro treinamento dos 12 apóstolos, entre muitas coisas Jesus lhes disse: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas. Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas; e sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios. Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.” (Mateus 10.16-20) Paulo reconheceu isto quando declarou: “Porque uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários.” (1 Coríntios 16.9); Porém em Salmos 126.6 lemos também: “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.” (Salmos 126.6).

5. O semeador não se ilude com as circunstâncias

Em Eclesiastes 11.4,5,6 lemos: “Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará. Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas. Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.”

6. O Semeador sabe que deve deixar os resultados com Deus

O semeador Paulo escreveu: “Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. (1 Coríntios 3.6,7); “Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça.” (2 Coríntios 9.10)

7. O semeador sabe que não está sozinho e que será recompensado

“A última parte do texto sobre a nossa grande comissão destaca a presença de Cristo conosco para realizar esta tarefa: “Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mateus 28.18-20) A presença de Cristo nos comunica alegria, apoio, orientação, consolo, e também galardão. Jesus declarou: “E o que ceifa recebe galardão, e ajunta fruto para a vida eterna; para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem.” (João 4.36); Por isso Paulo disse aos Gálatas: “E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.” (Gálatas 6. 9) Como vai o nosso ânimo para anunciar a Palavra? “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” (2 Timóteo 4.2) O evangelismo é a nossa maior prova que amamos a Cristo.

Veja! estudo bíblico para novos convertidos

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *