DISCIPULADO / Estudo Bíblico 05/14: A Igreja – O meio de transformar a sociedade

proposito-da-igrejaA origem da palavra igreja vem do grego ekklesia, que significa “os chamados para fora”. (Hb 12.23) Na Grécia antiga identificava uma assembléia, em que um arauto convocava as pessoas para uma reunião. A igreja de Cristo fomos convocados, tirados “para fora” do mundo e postos em uma posição privilegiada em Cristo.  (Ef 2.6) A igreja foi fundada pelo próprio Cristo, portanto Ele é o fundamento dela. Não se trata de uma invenção humana. Leia Mateus 16.15-19

1. A FINALIDADE DA IGREJA:

1.1 Adoração

Somos adoradores por natureza! Deus pôs um espírito no homem para essa finalidade. Quando estávamos mortos espiritualmente (em nossos pecados) não podíamos adorá-lo da forma que lhe agradasse. O que Deus fez então em nós? Em Efésios 2.1-5 lemos assim: “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou. Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus.” Agora uma vez vivificados espiritualmente, podemos adorá-lo em espírito e em verdade conforme o que Jesus falou em João 4.23,24: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.“ Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”

 1.2 Edificação espiritual

Saímos de um mundo cheio de engano. (1 Jo 5.19) Como novas criaturas em Cristo precisamos ser edificados na Palavra da Verdade. (João 17.17) Para isto Deus colocou na igreja pessoas capacitadas para nos ajudar a crescer espiritualmente. Em Efésios 4.11-14 está escrito assim: “E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente.” Portanto é extremamente importante se congregar a fim de não correr o risco de cair no engano novamente. Em Hebreus 10.25 lemos: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

1.3 Evangelização do mundo

É de responsabilidade de cada crente como membro da igreja de Cristo pregar o Evangelho a toda criatura. Leia Mt 28.18-20 e 2 Tm 4.2  Em Mateus 5.13,14 Somente através da ação da igreja a sociedade pode ser transformada e assim, podemos mudar o mundo. Jesus se expressou assim: “Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte.” Como “sal da terra” a igreja preserva o mundo da corrupção total através do combate ao pecado. Como “luz do mundo” a igreja aponta Cristo como a única solução para o pecado e suas conseqüências presentes e futuras. (Mt 5.13,14) O plano de Salvação deve ser levado pela igreja, eu e você, nós os que já recebemos a Cristo como Salvador.

A tarefa da igreja não termina com a evangelização, é necessário a consolidação dos novos convertidos. Jesus falou ao Apóstolo Paulo em uma visão: “Não temas, mas fala, e não te cales; porque eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade. E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus.” (Atos 18.9-11)

2. AS ORDENANÇAS DA IGREJA:

Jesus deixou apenas duas ordenanças para Sua igreja: O batismo e a Ceia do Senhor.

 2.1 O batismo

A palavra vem do grego “baptizo” que significa “imergir completamente”. Simboliza a morte e o sepultamento do velho homem e a ressurreição do novo para a vida eterna. Em Colossenses 2.12 lemos: “Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos.” É um mandamento de Jesus conforme Mateus 28.18-20: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.”

 O batismo é, portanto uma demonstração pública de que morremos para o pecado e o mundo e assumimos uma nova vida em Cristo. De agora em diante devemos pensar nas coisas que são do alto. Em Colossenses 3.1-4 lemos: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.”

 2.2 A Ceia do Senhor

Foi instituída por Cristo na noite em que foi traído. Primeiro participou da ceia pascal com os seus discípulos e depois instituiu sua própria ceia. Esta foi a última páscoa, pois o verdadeiro sentido da páscoa aponta para o sacrifício de Cristo por nossos pecados. Na ceia ele comemorou sua vitória sobre o pecado e a morte mediante seu iminente sacrifício na cruz. O pão e o vinho são os elementos da Ceia. O pão significa receber pela fé a vida de Jesus. Assim como o pão nos fortalece fisicamente, Jesus, o Pão vivo que desceu do céu, a sua Palavra a qual nos fortalece espiritualmente. (Jo 6.48-51) O cálice e o vinho representam o sangue que ele derramamou por nós. Esta é a simbologia da Nova Aliança. (Lc 22.20) Trata-se do novo pacto predito pelo profeta Jeremias. (Jr 31.31-34) Jesus falou sobre o cálice quando ele estava orando no Getsêmani. Ele representa os pecados de todo o mundo os quais levou sobre si mesmo. Em Seu sofrimento ele suou grandes gotas de sangue no Getsêmani. (Lc 22.44) Além disto a Ceia do Senhor anuncia também a morte de Cristo até que Ele venha. (Lc 22.18) (O arrebatamento da igreja)

3. SÍMBOLOS DA IGREJA:

3.1 Corpo

Cristo esteve na terra e sua presença foi conhecida. Ele voltou para o céu, mas sua presença se faz sentir por meio de sua igreja, que é seu corpo. Cristo é o cabeça da igreja. Em Colossenses 1.18 lemos assim: “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.” Em Efésios 4.15,15 lemos: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” Em 1 Coríntios 12.25-27 lemos: “Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.” A igreja é portanto um organismo vivo com seus membros, cada um com função específica.

 3.2 Noiva

Por causa de sua comunhão e união com Cristo a igreja é comparada como uma noiva. Em Apocalipse 22.17 lemos: “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.”

 3.3 Família

Em João 1.12,13 lemos: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” (João 1.12,13) Em Romanos 8.16 lemos: “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.” Então fomos adotados por Deus e assim somos filhos por adoção. (Jo 1.12,13; Ef 2.19)

 VEJA 3 BENEFÍCIOS DA ADOÇÃO EM CRISTO:

1. Somos libertos

Agora não somos mais escravos do pecado, por isso podemos obedecer a Deus livremente.  Cristo falou assim: “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (Romanos 8.34-36) Em Romanos 8.15 lemos: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.”

 2. Somos cidadãos dos céus

Em Efésios 2.16-22 lemos: “E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.  Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.”

3. Temos uma herança

Todo filho tem direito a uma herança. Em Romanos 8.17 lemos assim: “E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.” Isto aconteceu conosco porque Deus aboliu as barreiras entre nós e Ele mediante o sacrifício de seu filho Jesus Cristo por nós.

6 CARACTERISTICAS DE UM VERDADEIRO MEMBRO DO CORPO DE CRISTO.

1. Amor ao próximo

“Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros.” (1 João 4.11); “Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro; sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.” (1 Pedro 1.22,23)

2. Unidade

Em 1 Coríntios 1.10 lemos: “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.”  No capítulo 12.25-27 lemos também: “Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.”

 3. Prática da Palavra

Romanos 12.9-21 é um resumo prático da aplicação da Palavra: “O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis; alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos; a ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens; se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.”

 5. A AUTORIDADE DA IGREJA

5.1 Jesus deu autoridade à sua igreja em relação às coisas espirituais

Em João 20.22,23 lemos sobre Jesus: “E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.” Em Mateus 18.15-17 lemos: “Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.”

 5.2 A igreja é submissa a Cristo

Em Colossenses 1.18 está escrito: “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.” Assim como uma esposa deve ser submissa ao esposo, a igreja deve ser submissa a Cristo. Em Efésios 5.23 lemos: “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.” Como se expressa essa submissão? A verdadeira igreja ensina e obedece somente o que Cristo ensinou. Ela não tem autoridade própria para criar dogmas ou doutrinas a seu bel prazer. Em Apocalipse 22.18,19 está escrito assim: “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” A Bíblia já é pura e completa com seus 66 livros, qualquer acréscimo a ela é adultério. Em provérbios 30.5,6 lemos: “Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” Portanto a submissão da igreja diz respeito ao temor a Deus por Sua Palavra. Em Deuteronômio 4.2; 12.32 também lemos: “Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando”; “Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás.”

5.3 A verdadeira igreja não segue doutrinas de homens

Em Marcos 7.5-8 está escrito: “Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar? E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, Mas o seu coração está longe de mim; em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens; como o lavar dos jarros e dos copos; e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas.” Tenhamos cuidados com as seitas. Toda seita tem um líder o qual reivindica que seu ensino tem a mesma autoridade das Escrituras. Geralmente tem um livro à parte para apoiar sua própria doutrina e assim desviar a atenção dos fiéis da verdade da Bíblia. A intenção deles é sempre somente de enganar. Em Mateus 7.15 Cristo nos adverte: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.”

5.4 Só existe um evangelho verdadeiro

O livro de Atos começa assim: “Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo o que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar, até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.” (Atos 1.1,2) Em Gálatas 1.8,9 o apóstolo Paulo diz: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” Anátema significa maldito. O que os apóstolos escreveram foi revelado por Cristo. O apóstolo Paulo se expressou assim: “Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.” (Gálatas 1.12)

            “É o papel da igreja servir e transformar a sociedade.” (C.B Johns)

Para refletirmos um pouco mais sobre o papel da igreja verdadeira:

Veja abaixo a série de Estudos Discipulado: